revoada da arte com a educação – infância – 12 de outubro de 2020 – [Gratuito – ONLINE]

Informações

revoada da arte com a educação
de 12 de outubro de 2020
Das 18h às 22h

Coordenação geral: Stela Barbieri
Curadoria: equipe binåh e coordenadores das mesas
Coordenação artística: Simone Lima
Coordenação: Queli Arantes e Flora Pappalardo

Duração: 4h de encontro por noite
Encontros gratuitos

Contato: contato@binahespacodearte.com.br

Transmissão através do canal do binåh no You Tube

 

>>12 de outubro de 2020
das 18h às 22h
No canal do YouTube do binåh espaço de arte

 

18 h – Mesa 1
Música na Infância

“A Música da Cultura Infantil é uma música no corpo, próxima ao outro, com o outro. O vasto repertório dos Brinquedos de Criança se forma no livre exercício da Infância, ou seja, no convívio natural e espontâneo das Crianças entre elas mesmas, e carrega em seu bojo, necessariamente, os arquétipos da cultura de origem, elementos da natureza do lugar, os traços do tempo histórico, tecidos na alegria e inventividade das Crianças. E são as experiências vividas através destes Brinquedos que formam o “território sagrado da Infância” – o lugar Dentro, onde as Artes encontram substrato e fincam suas raízes, potencializando a manifestação criadora.” Lydia Hortélio.

Adelsin é brincante e integrante da Casa das 5 Pedrinhas/Zerinho ou Um, autor da coleção Barangandão, composta por livros sobre construção de brinquedos. Com formação em artes plásticas, trabalha há mais de trinta anos com a pesquisa, documentação e irradiação da cultura das crianças. Adelsin realiza “oficinas de brinquedos” para crianças, jovens e adultos em todo o Brasil e presta consultoria para instituições públicas, privadas e organizações não governamentais que trabalham com a criança, a cultura, a educação e o meio ambiente. Participou da concepção e implantação de  mais de 40 centros de cultura infantil no Vale do Jequitinhonha, MG, no Cariri, CE e nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte, de Fortaleza e de Maceió.  Vive há dez anos na região de Diamantina, MG onde mantém um “quintal laboratório vivo” com crianças.

Lucilene Silva é mestre e doutoranda em música na Unicamp – SP; pesquisadora do Instituto de Etnomusicologia da Universidade Nova de Lisboa – INET-md; membro do Conselho Diretivo do Grupo de Estudos ICTM de Música e Dança da América Latina e Caribe; coordenadora do Centro de Cultura Infantil e do Centro de Formação da Oca Escola Cultural; educadora da Casa Redonda Centro de Estudos e do Instituto Brincante; representante em São Paulo da Casa das 5 Pedrinhas fundada pela pesquisadora e  etnomusicóloga Lydia Hortélio. Sua pesquisa está centrada na cultura infantil e música da infância no Brasil e América Latina.

 

Lydia Hortélio tem formação em Música: Piano, Educação Musical, Etnomusicologia, com estudos de pós-graduação no Brasil, Alemanha, Portugal e Suíça. Realiza pesquisa e documentação de Cultura da Criança, Música Tradicional da Infância, Cultura Popular, Educação através da Cultura. Ministra cursos, palestras, oficinas, exposições, no Brasil e no Exterior. Tem participação em vários projetos de Educação e Cursos de Formação de Professores. Autora dos livros: Uma experiência em Educação, História de uma manhã… e O Presépio ou o Baile de Deus Menino; dos CDs: Abra a Roda, tin dô lê lê...; Ô Bela Alice e Céu  Terra, 51 Cada Vez sai um… Brinquedos dos meninos de Serrinha; e dos filmes: “A Criança com vida, “O Quintal das Crianças, “Tarja Branca- a revolução que faltava e Mitã. Em 2019 foi homenageada na Ocupação Itaú Cultural 2019 e em 2009 recebeu o prêmio Honra ao Mérito Cultura.

 

20h – Mesa 2
Infância e natureza

Como pensar a natureza em campo expandido, tendo em vista diversos sistemas e modos de existência que integram a maneira de estar no mundo das crianças? Florestas, hortas e quintais muitas vezes habitam o imaginário da infância na natureza, mas onde ela se esconde nos meandros do nosso cotidiano? Como cavar buracos?Conversaremos com Letícia Zero, Ana Carol Thomé e Renata Meirelles sobre alimentos, corpos, sistemas e rachaduras.

Ana Carolina Thomé é Pedagoga, especialista em Educação Lúdica, Psicomotricidade e Educação Inclusiva. Professora da Rede Publica, atuando no programa de inclusão escolar. Idealizou e coordena o programa Ser Criança é Natural do Instituto Romã, desde 2013. Trabalhou em Escolas da Floresta no Reino Unido, e pesquisa iniciativas que relacionem Educação e Natureza pelo mundo. Estuda a abordagem Pikler, e desenvolvimento infantil. Professora por profissão, educadora de coração, brincante desde o nascimento. Acredita no poder da infância e que o mundo pode ser melhor.

 

Leticia Zero é atualmente coordenadora da Secretaria Executiva da Aliança pela Infância. Com experiência em planejamento e gestão de projetos sociais e culturais. Trabalha com e pela infância há mais de 10 anos, tempo no qual vêm observando tanto as crianças quanto as hortas, e aprendendo que olhar o céu é fundamental para se encantar pela infância e garantir os seus direitos.

 

 

Renata Meirelles sempre com o brincar em pauta, já fez curadoria de exposições, escreveu livros, realizou um mestrado na Faculdade de Educação da USP, co-dirigiu e roteirizou o longa-metragem “Território do Brincar”, além diversos curtas e médias metragens. É coordenadora do Projeto de Pesquisa Território do Brincar, uma co-realização com o Instituto Alana, e idealizadora do Projeto Bira – Brincadeiras Infantis da Região Amazônica.

 

 

21 h – Mesa 3 
Linguagens na infância e com os professores

Nesse encontro Josiane Pareja, Simonetta Cittadini e Paulo Fochi conrtuirão um diálogo a respeito das linguagens e a infância. Que estados convocam as linguagens? Elas estão em consonância com que tipo de manifestação do pensamento? De que maneiras a experiência de linguagem das crianças toca o imaginário dos professores?  Do que se ocupam crianças e professores na relação com as linguagens? A partir da partilha de processos e da investigação de contextos de aprendizagem, construiremos um diálogo prático e teórico, criando partilhas do vôo.

 

Josiane Pareja é educadora  e trabalha há 16 em em escolas. Em 2014 abre o Ateliê Centro de Pesquisas e Documentação Pedagógica e o Ateliê Carambola Escola da Infância e, desde então seu trabalho pedagógico ganha força na direção de uma infância narrada e compartilhada. Tornar visível como as crianças pensam se tornou o grande objetivo dessa educadora.

 

Paulo Fochi é pedagogo, Especialista em Educação Infantil (Unisinos), Mestre em Educação na linha Estudos da Infância (UFRGS), Doutor em Educação na linha de Didática e Formação de Professores (USP). Atualmente é professor da Unisinos e coordena o Observatório da Cultura Infantil – OBECI. É colunista do Portal Lunetas e tem publicado especificamente no campo da Pedagogia da Infância, Educação Infantil, Bebês, Documentação Pedagógica e Formação de Professores.

 

 

Simonetta Cittadini é fundadora da L’Atelier School, do Flórida Reggio Collaborative of the Rights of Children e do Center for the Culture of Creativity. Simonetta é educadora, consultora e atelierista. Dedicou os últimos 25 anos à defesa dos direitos das crianças no contexto da escola, em diálogo com a abordagem de Reggio Emília. Formadora e consultora de várias escolas nos Estados Unidos e na América Latina. Simonetta escreveu várias publicações da experiência pedagógica e criativa da L’Atelier School considerando as várias investigações desenvolvidas na escola.

 

 

> apresentações artísticas
OCA Escola Cultural, Território do Brincar, Andi Rubinstein, Largatixa na Janela, Canastra Real, Escola de Choro e Cidadania “Luizinho 7 cordas”

 

revoada pela arte com educação
>>ficha técnica

Coordenação geral: Stela Barbieri

 

Stela Barbieri é artista plástica, educadora, escritora e contadora de histórias.  Foi curadora do Educativo da Bienal de Artes de São Paulo e diretora da Ação Educativa do Instituto Tomie Ohtake. É assessora de artes da educação infantil e ensino fundamental na escola Vera Cruz e prestou assessoria nas escolas Castanheiras e Nossa Senhora das Graças. Stela fez parte do Conselho Consultivo do PGECC – Programa Gulbenkian Educação para a Cultura e Ciência, em Lisboa, Portugal e atualmente faz parte do conselho da Pinacoteca do Estado de São Paulo.

 Ela também coordenou o curso de Pós-Graduação em Museus e Instituições Culturais, do Instituto Singularidades. Contadora de histórias experiente, Stela é autora de 20 livros infanto juvenis. É diretora do Bináh Espaço de Arte.

 

Coordenação – revoada da arte com a educação – infância: Queli Arantes e Flora Pappalardo (binåh espaço de arte)

Queli Arantes é pedagoga, Especialista em Educação,Infância e Desenvolvimento Social. Mediadora no processo de formação de professores. Amante da música, trilha seus estudos sobre a cultura da Infância e seus contextos investigativos.

 

 

 

Flora Pappalardo é cineasta, educadora e produtora cultural. Trabalha comconteúdo e documentação no binåh – espaço de arte desde 2019. Formada em cinema pela Fundação Armando Álvares Penteado, trabalhou em mais de 20 curtas-metragens, séries de televisão e produções audiovisuais diversas. Como educadora atuou no Colégio São Domingos, Santa Cruz, EMEF Amorim Lima e no próprio binåh.

 

 

Coordenação artística: Simone Lima

 

Simone Lima é graduada em Artes pela Unesp e mestranda pela mesma universidade. É artistista-professora da Escola Municipal de Iniciação Artística. Foi professora pública de artes para o Ensino Básico. É autora de livros didáticos e de literatura paradidática. Atua artisticamente na área de performance e artes visuais.

 

Curadoria: equipe binåh e coordenadores das mesas

equipe binåh
Stela Barbieri
Fernando Vilela
Carina Tiyoda
Felipe Leonidas
Flora Pappalardo
Gilson Pereira
Pedro Campanha
Romeu Loreto
Roselane Silva

Coordenadores de mesa
Queli Arantes
Eri Alves
Leila Monteiro
Valéria Prates
Carolina Velasquez

Esses encontros estão sendo realizados de forma voluntária, independente e sem fins lucrativos por todos organizadores e participantes.